O celular é pirata? Veja como descobrir

Desde o início do ano, a Agência Nacional de Telecomunicações, a Anatel, começou a bloquear celulares piratas ativos no Brasil. Quer saber qual a diferença entre um aparelho pirata e um original? Então siga as dicas a seguir.

Primeiro, é bom conferir se o celular possui o selo da Anatel. Todo smartphone vendido oficialmente no Brasil precisa ser homologado pela agência. Outra dica importante é checar se o IMEI, o código de identificação do dispositivo, está regularizado. Para conferir qual é o IMEI de um celular, basta abrir o app de ligações e discar asterisco, jogo-da-velha, 06, jogo-da-velha [*#06#]. E pronto, o número vai aparecer na tela automaticamente.

Para checar se aquele IMEI está regularizado, acesse o site anatel.gov.br/celularlegal. Na página inicial, clique em "Consulte sua situação" e depois em "consulte aqui a situação do seu aparelho celular". Digite na próxima página o número do IMEI que você viu na tela do smartphone e clique em "Consultar". Você verá na mesma página se o número tem ou não alguma restrição de uso. Se não tiver, ele é original.

Vale a pena também ficar atento aos detalhes. Confira se as especificações do aparelho, como processador e memória RAM, estão de acordo com o que aparece no site oficial da fabricante. Verifique ainda possíveis erros de português na interface ou na embalagem. Ao ligar o aparelho, preste atenção à tela inicial, que muitas vezes pode mostrar uma animação diferente da original se for um modelo falsificado. Por fim, fica a dica: em lojas virtuais ou nas ruas, desconfie sempre que vir algum aparelho à venda por um preço muito abaixo do mercado.

Compras na internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar


RECOMENDADO PARA VOCÊ

Últimos vídeos

5G pode trazer risco para a saúde?

5G pode trazer risco para a saúde?

22/05/19 21h00

Um obstáculo inesperado pode surgir no caminho do 5G mundo afora: o temor de que as ondas de rádio da nova tecnologia possam ter... saiba mais