Review 2 A.M. Extreme H700: um bom, mas desequilibrado notebook gamer

A marca 2 A.M Gaming entrou faz pouco tempo no mercado, trazendo computadores e notebooks para o segmento gamer com configurações potentes. Todos os equipamentos da marca, por sua vez, utilizam componentes de ponta da Intel e da NVIDIA, garantindo excelência em desempenho mesmo em seus aparelhos de entrada.

O notebook Extreme H700, que é um dos aparelhos top de linha da marca, exige um certo investimento e é indicado para quem procura a melhor performance em jogos que possam ser levados para qualquer lugar devido a sua mobilidade. O Olhar Digital teve acesso a este modelo da marca para realizar testes e traz as impressões sobre ele logo abaixo. Confira!

Design e acabamento

Este notebook está disponível apenas na cor preta e, é preciso dizer, a sua embalagem para um produto destinado ao público gamer pode parecer um tanto simples, mas não é algo a ser considerado como um contra, já que em compensação ele vem bem seguro dentro dela. Ao tirá-lo da caixa, a primeira coisa que você notará é o logo em destaque que fica na tampa do aparelho, que com seu tom vermelho dá um aspecto bem bonito na sua tampa.

O material escolhido para o acabamento do notebook também traz um ponto muito positivo, em que marcas de dedos não ficam presentes no aparelho. Entretanto, o mesmo não pode ser dito para o touchpad, que em diversos momentos durante a sua utilização ficava com marcas bem visíveis.

Diferente de outros aparelhos onde as linhas e as bordas costumam ser mais retas, aqui é possível verificar o trabalho que foi feito para deixá-lo com um visual diferenciado. Além disto, nas bordas do notebook, também está uma parte importante do seu sistema de refrigeração, utilizada para tirar o ar quente de dentro do aparelho quando ele está em uma mesa ou algo do tipo.

Reprodução

Já ao abrir a tampa do notebook, você estará prestando atenção no seu teclado em primeiro lugar. Isto se deve ao fato dele ser mecânico e a altura elevada em que as teclas estão acabam ficando em evidência. O touchpad também merece uma atenção, devido a suas bordas vermelhas, mas o seu desempenho acaba sendo mediano, assim como é explicado mais abaixo.

Reprodução

Felizmente, mais um ponto positivo a ser destacado, é a impressão simples, mas completa de o notebook ter um bom hardware logo ao abri-lo. Diferente de outras marcas que optam por colocar muitos adesivos perto do teclado, a 2 A.M Gaming optou por destacar apenas o seu hardware principal com etiquetas bem pequenas que representam o seu processador, placa de vídeo e som.

Peso e medidas

Assim como a maioria dos notebooks para o segmento de jogos, o Extreme H700 não é um dos equipamentos mais pequenos e ideais para transporte em mochilas pequenas, por exemplo. Com um peso girando em torno de 2,5 Kg, logo ao segurá-lo, você já sente o seu peso, apesar disto trazer aquela boa sensação de estar segurando um equipamento resistente.

Partindo para a espessura do aparelho, pode ser dito que ele é um pouco maior do que um notebook comum, mas nada exagerado a ponto de atrapalhar na hora dele ser carregado na mão. Caso esteja interessado na medida em si do aparelho, ela chega perto dos 3 centímetros.

Reprodução

Desta forma, apesar de ser um pouco grandinho, o notebook ainda se torna agradável para a sua principal tarefa que é rodar jogos. Isto porque ele fica bem confortável na hora de segurá-lo no colo ou de deixá-lo na mesa sem se preocupar em fazer movimentos bruscos.

Tela

Disponível em um tamanho único, a tela deste notebook é de 15,6 polegadas de tamanho e conta com a resolução Full HD (1920 x 1080p). Já no que diz respeito as tecnologias, o display é LED.

A tela proporciona uma boa qualidade de imagem com cores bem vivas, entretanto, ela possui alguns contras que precisam ser destacados. Em diversos momentos durantes os testes, ela acabava refletindo bastante a nossa imagem, algo que pode ser um pouco incômodo dependendo do que você está jogando.

Reprodução

Além disto, este mesmo problema dito acima, também refletia as luzes do ambiente quando bem iluminado. Ainda assim, em outras condições, o seu resultado foi satisfatório. Outro quesito que precisa ser destacado, é que este notebook só possui opções com a taxa de frequência da tela em 60 Hz, algo que poderia ser melhorado para ao menos 75 Hz. No caso, a taxa de frequência ajuda na fluidez dos jogos para que eles tenham uma taxa maior de quadros por segundo.

Teclado e touchpad

Como dito anteriormente, o Extreme H700 conta com um teclado mecânico, o que pode ser considerado um diferencial dentro de sua faixa de preço. Por sua vez, este teclado se demonstrou extremamente confortável durante o uso e, ainda conta com mais pontos positivos, como os destaques dados para as teclas WASD e as setas direcionais.

Também é preciso dizer que apesar do teclado ser mecânico, ele não é barulhento ao ponto de incomodar, como ocorre com teclados tradicionais de computadores que usam os switches azuis. A retro iluminação do teclado também é muito bem-vinda, mas poderia trazer algum software que facilitasse a troca das cores.

Reprodução

Por sua vez, o touchpad do aparelho é um de seus pontos negativos. Além do acabamento mencionado mais acima, ele não é muito preciso para movimentos e apresentou lentidão na velocidade do cursor sendo mexido. Além disto, o clique do touchpad (ato de apertar) também não respondeu bem durante nossos testes. Em compensação, ao trocar o clique do touchpad por um simples toque, a melhora da precisão para os cliques simples foi notável.

Ficha técnica

Antes de partir para o assunto do desempenho do computador, é necessário saber um pouco mais dos seus componentes de hardware. O notebook atualmente possui algumas versões diferentes que mudam o processador e a quantidade de memória RAM do aparelho. A seguir, veja a ficha técnica completa do notebook testado pelo Olhar Digital:

  • Processador Intel Core i7-8750H;
  • 16 GB de memória RAM DDR4 (Expansível até 32 GB);
  • 1 HD de 1 TB de espaço para armazenamento;
  • Tela Full HD LED de 15.6 polegadas;
  • Webcam 720p;
  • Leitor de cartões SD;
  • Alto-falantes estéreo com placa de som Sound Blaster Cinema 5;
  • 1 saída HDMI;
  • 2 portas USB 3.1 (tipo A), 1 porta USB 3.1 (tipo C), 2 portas USB 2.0.

Como pôde ser percebido, a 2 A.M Gaming acertou na decisão da quantidade de portas USB presentes no aparelho. Outro destaque também fica para a opção da placa de som escolhida da Sound Blaster. Apesar de não ser mais um item muito comum em computadores como no passado, a qualidade do som reproduzido pelo notebook devido a ela é impressionante.

Performance e desempenho

Na questão de desempenho o notebook consegue ser balanceado e até surpreende ao superar alguns aparelhos da concorrência que contam com preços superiores ao seu. Ainda assim, é preciso fazer algumas ressalvas.

Como não poderia ser diferente, o primeiro item a ser verificado ao ligar o computador é no tempo de inicialização dele. Neste quesito, o Extreme H700 desaponta um pouco ao não ter um SSD em sua configuração, que faz falta em alguns momentos. Ainda assim, é preciso lembrar que a versão mais completa disponível na loja oficial conta com um Optane de 16 GB.

Já o sistema adotado como padrão, é claro, fica com o Windows 10 na sua versão Home. Um ponto muito positivo a ser destacado fica pela fabricante optar por não incluir programas pré-instalados, ou seja, o sistema tem uma instalação limpa sem bloatwares. Entretanto, ao menos na unidade testada pelo Olhar Digital, foi sentida a falta do driver da NVIDIA vir pré-instalado, já que ele é essencial para extrair o melhor desempenho da placa de vídeo, mas isso não chega a ser um contra e é um ponto facilmente contornável.

Já para testar de fato o poder de performance do aparelho, foram feitos testes com o aplicativo 3D Mark e os jogos Fortnite e Monster Hunter World. Veja abaixo os resultados:

3D Mark

No teste do 3D Spy do 3D Mark o notebook conseguiu alcançar a boa pontuação geral de 3.746 no placar geral, enquanto a placa de vídeo alcançou 3.567 e a CPU 5.239. Apenas para fins de comparação, o desempenho apresentado por este notebook supera o de concorrentes que utilizam a mesma placa de vídeo, como o caso do Odyssey Z que foi avaliado anteriormente pelo Olhar Digital.

Fortnite

Além de ser extremamente popular, este jogo, é verdade, ainda carece um pouco de otimizações, mas é um teste necessário para as máquinas dedicadas a jogos de hoje. Por padrão, a configuração sugerida do jogo para o notebook foi a alta, que ficou com os FPS quase sempre cravados em 60. Ou seja, ele foi capaz de rodar o jogo sem lentidões nesta configuração.

Reprodução

Já ao subir as configurações para o nível “Épico”, o resultado apresentou algumas diferenças. Apesar de quase sempre ficar com os FPS entre 55 e 60, quando o jogo exibia muitos elementos, esta taxa caía para 45, o que causava aquele efeito de lentidão no jogo.

Monster Hunter World

Neste outro jogo, o resultado foi um pouco diferente. Ao deixá-lo na configuração máxima, os FPS ficavam em torno de 50. Entretanto, ao diminuir algumas opções, o valor subia para 55, mas ainda assim não foi possível jogá-lo a 60 quadros por segundo, que o deixaria sem lentidões.

Em compensação, ao deixá-lo nas configurações mais baixas, o resultado foi como o esperado e o jogo alcançou os 60 FPS sem maiores problemas.

Conclusão de desempenho

Apesar de já existirem placas de vídeos mais modernas no mercado, a GTX 1060, mesmo em sua versão para notebooks, ainda é uma ótima opção para quem executa os jogos em 1080p na frequência de 60 Hz. As lentidões vistas acima durantes os testes não foram o suficiente para estragar a experiência em qualquer jogo, mostrando que a 2 A.M Gaming acertou na escolha da placa.

Outro ponto importante em notebooks para jogos também fica por conta do aquecimento, uma vez que eles possuem hardware com tendência a esquentar. E, aqui, o notebook se saiu extremamente bem nos testes realizados não esquentando em momento algum. Vale lembrar, que acima do teclado, existe um botão para um maior resfriamento do aparelho, mas que ao menos em nossos testes não teve a necessidade de ser utilizado.

Ainda no ponto visto acima, é claro, esta funcionalidade para um maior resfriamento foi testada e funcionou bem, conseguindo descer em torno de 2 a 4 graus Celsius do computador. O preço disto, é claro, fica por conta de um som mais barulhento vindo dos coolers do notebook.

Bateria

Durante um dia normal de uso, sem ser para jogos, a bateria do notebook durou em torno de 6 horas. Para isto, não foi modificada nenhuma configuração do Windows ou do próprio notebook. Ou seja, ele foi testado com os valores de brilho padrão para a tela e no plano de padrão de energia do sistema.
Agora, quando o assunto é jogar sem estar na fonte, infelizmente os resultados são desapontadores. Em alguns jogos que foram testados na bateria, o desempenho da máquina diminuía drasticamente a ponto de deixá-los injogáveis.

É claro, que uma máquina que contém esse hardware e outros notebooks gamers geralmente são destinados para o uso conectados a fonte, entretanto, o desempenho neste quesito ficou bem abaixo da média.

Por sua vez, o Windows também não trouxe opções padrões de planos de energia como ocorre em algumas marcas e, assim, não foi possível obter melhorias neste sentido.

Preço

O notebook que foi testado pelo Olhar Digital está custando R$ 6.569,10 na loja oficial da 2 A.M Gaming. Nesta faixa de preço é difícil encontrar outro aparelho que venha com um processador Hexa-core como este aqui e com uma placa de vídeo da série GTX.

Apesar do valor ser um limitador para muita gente, quem procura um notebook para rodar os últimos jogos da geração com uma boa qualidade gráfica, dificilmente encontrará um equipamento no Brasil que esteja abaixo deste valor. Algumas marcas concorrentes podem até oferecer produtos com preços parecidos, mas é claro que a diferença ficará em algum outro item como o SSD, memória etc.

Conclusão

O notebook Extreme H700 entra como uma ótima opção para o mercado de notebooks gamers, ainda que existam outros modelos que possam oferecer mais desempenho. Assim como foi dito acima, o notebook tem muitos pontos positivos, mas também comete alguns deslizes como a sua performance na bateria e o touchpad problemático.

É verdade que na faixa de preço que ele se encontra, ele poderia ter mais algum extra como o SSD ou o display com uma frequência superior. Entretanto, o ótimo acabamento do aparelho e seu bom teclado mecânico compensam alguns destes pontos.

Sendo assim, este notebook consegue justificar o seu preço e é uma boa opção para jogadores que procuram uma máquina para executar os jogos, contanto que não se importem em ficarem com a fonte conectada e em diminuir algumas opções gráficas dos games.

O Natal está chegando. Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ