Leilão de computador com malwares já tem oferta de US$ 1,13 milhão

O netbook da Samsung contém seis pragas virtuais perigosas que, juntas, causaram US$ 95 bilhões em prejuízos

Alguns malwares foram responsáveis, ao longo da história da tecnologia, por causar prejuízos bilionários. Equipamentos infectados por eles são, geralmente, submetidos a intensas sessões com antivírus ou, até mesmo, a formatação.

Não foi o que aconteceu com um netbook Samsung NC10-14GB. O modelo azul de 10,2 polegadas tem, em seu sistema, seis das pragas virtuais mais perigosas de todos os tempos e que, juntas, causaram prejuízos de US$ 95 bilhões.

Depois de ser isolado (eletrônica, eletromagnética e fisicamente), o dispositivo está à venda em um leilão (o processo ocorre ao vivo, para quem quiser acompanhar) — e o valor já está em US$ 1,13 milhão. O responsável é o artista Guo O Dong, em parceria com Deep Instinct, uma empresa especialista em cibersegurança.

Comprador não pode espalhar malwares

O comprador deve usar o aparelho como "obra de arte ou para fins acadêmicos" e concordar em não divulgar qualquer malware. Afinal, o dispositivo está cheio de programas maliciosos que podem causar danos, alterações ou roubo de informações. "A venda de malware para fins operacionais é ilegal nos Estados Unidos ", lembra o site do leilão.

Segundo os vendedores, os recursos de internet e as portas disponíveis do computador serão desativados antes do seu envio ao comprador. O netbook foi apelidado de The Persistence Of Chaos (A Persistência do Caos, em tradução livre). Os malwares instalados no aparelho são:

WannaCry

Esse ransomware foi usado em 2017. Depois de infectar equipamentos, ele exigia o pagamento de um resgate em criptomoeda — só assim o usuário recebia o controle do computador de volta. Cerca de 200 mil dispositivos em mais de 150 países foram afetados.

BlackEnergy

Essa praga de 2007 começou seus ataques com a distribuição de bots para fazer ataques via spam de e-mail. Com o tempo, evoluiu até passar a infectar pastas de dados de aplicativo local. Em 2015, causou um grande apagão na Ucrânia.

ILOVEYOU

Surgido em 2000, o vírus enviava um e-mail para os contatos de usuários infectados. A mensagem tinha um anexo: o 'LOVE-LETTER-FOR-YOU.txt.vbs'. Ao ser aberto, ele iniciava um script que substituía arquivos diversos. Os mais de 500 mil computadores afetados tiveram danos estimados em US$ 15 bilhões.

Mydoom

Conhecido como o malware de e-mail mais rápido de todos os tempos (até mais do que o ILOVEYOU), o Mydoom apareceu em 2004. Os equipamentos infectados por ele enviavam lixo eletrônico, mas parecia que se tratava apenas de um erro de envio.

SoBig

Outro que atacava computadores via e-mail, o SoBig é de 2003. Classificado tanto como worm quanto como trojan, ele copiava arquivos, enviava e-mails e danificava tanto o software quanto o hardware do dispositivo. Antes de se desativar sozinho, atingiu milhares de dispositivos e causou prejuízos de US$ 37 bilhões.

DarkTequila

Responsável por roubar credenciais bancárias, dados corporativos e informações pessoais, o DarkTequila foi criado em 2013. Transmitido por phishing ou pen drives infectados, ele afetou, principalmente, computadores na América Latina.

Está interessado em dar um lance no leilão do netbook? Ele ainda fica no ar por mais cinco dias e algumas horas. Ah, e aproveite porque os custos de envio são de responsabilidade dos vendedores.

Você faz compras Online? Não deixe de conferir a extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ