Google e Think Olga criam ferramenta contra assédio sexual no Carnaval

Função no Google Assistente vai indicar sites com informações sobre o tema, contatos para denúncias e endereços para acolhimento das vítimas

O Carnaval é, talvez, o feriado mais esperado pelos brasileiros, brasileiras e turistas que vêm de outros países para festejar no país. Porém, é também um momento em que cresce o número de casos de assédio sexual contra as mulheres. Pensando nisso, a ONG feminista Think Olga e o Google desenvolveram uma função no Google Assistente que facilita o acesso a informações sobre o tema, como contatos para denúncia e centros de acolhimento das vítimas.

Com a ferramenta, ao falar “OK Google, como reportar assédio sexual” para o Google Assistente, o celular vai indicar os contatos da Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência (180) e da polícia militar (190). Além disso, o app também vai sugerir o site da Think Olga para mais informações sobre o assunto.

Para usar o app no Android, é só manter o botão home pressionado. Já para ativar o Google Assistente em iPhones, é preciso baixa-lo na App Store.

O Carnaval 2019 é o primeiro em que assédio sexual, que é qualquer manifestação de teor sexual sem consentimento da mulher, será considerado um ato criminoso. Isso em razão de uma nova lei de Importunação Sexual (13.718) sancionada em setembro de 2018 que enquadra como crime ‘‘praticar contra alguém e sem sua anuência ato libidinoso com o objetivo de satisfazer a própria lascívia ou de outrem’’. Alguns exemplos de atos considerados assédio são beijar alguém à força, passar a mão e cantadas invasivas.

No site da Think Olga, há mais informações sobre o tema, como acolher as vítimas dessa violência, como denunciar e suas implicações jurídicas.

Compras na internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar




RECOMENDADO PARA VOCÊ