Amazon está fazendo seus motoristas de entregas tirar selfies para evitar fraudes

Na sequência, haverá um reconhecimento facial para confirmar suas identidades

A Amazon está obrigando seus motoristas de entrega a fazer selfies, em uma tentativa de reduzir o número de fraudes. Usando uma tecnologia de reconhecimento facial a empresa verificará as identidades dos profissionais para se confirmar se eles são quem dizem ser. 

Os novos requisitos apareceram para os motoristas no aplicativo Amazon Flex, notificando-os de que eles precisavam tirar uma selfie antes de continuar o trabalho. A empresa, claro, alerta aos condutores para  que"não registrem essa imagem enquanto dirigem". 

Ao pedir aos motoristas que tirem selfies, a Amazon quer impedir que várias pessoas compartilhem a mesma conta do Flex. Esses esforços podem, tecnicamente, impedir qualquer um que não esteja autorizado a entregar pacotes, como criminosos, que tentam usar o Amazon Flex como uma desculpa para se esconder na frente das casas das pessoas. 

No passado, a Amazon também tinha um problema com os motoristas desonestos que roubavam pacotes e até usou encomendas falsas para atrair ladrões. O problema é que, provavelmente, o requisito de selfie não ajudará a conter essas fraudes: afinal, um ladrão pode ser exatamente quem ele diz ser, passando no teste.

Os requisitos aplicam-se apenas aos motoristas Flex, que têm horários flexíveis e recebem entre US$ 18 a US$ 25 por hora. Eles trabalham como contratados independentes, usando seus próprios carros para entregar os pacotes. A Amazon também notificou os motoristas através do aplicativo que seus dados biométricos poderiam ser coletados “para confirmar sua identidade de tempos em tempos” antes de solicitar as selfies.

Uber já usou a técnica das selfies

A Uber implementou um método semelhante em 2016, que pode sinalizar se a nova política da Amazon vai funcionar ou não. A empresa exigia que os motoristas registrassem selfies antes de entrarem na plataforma e atender aos pedidos de corrida. Críticos da política disseram que a companhia estava usando esse recurso como uma correção pouco eficiente para os condutores que escaparam da verificação de antecedentes. Depois do início da medida, ao se pesquisar no Google os termos “uber driver selfie”, o primeiro resultado que surge é uma pessoa perguntando em um fórum como enganar o sistema.

Além disso, em 2018, surgiram depoimentos de motoristas transgêneros do Uber afirmando que tiveram suas contas suspensas do serviço depois de tirar uma selfie e a mesma não coincidir com as fotos anteriores em um banco de dados. Isso porque, depois que a mudança de gênero foi feita, diversos pontos do rosto ficaram diferentes. Ou seja, o reconhecimento facial pode trazer mais problemas do que soluções. 

Fonte: The Verge

Você faz compras Online? Não deixe de conferir a extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ