Brecha de segurança do WhatsApp deixa mundo em alerta

A brecha de segurança do WhatsApp foi explorada por uma empresa israelense chamada NSO – conhecida por desenvolver ferramentas que se aproveitam de vulnerabilidades em sistemas de computadores e smartphones. No caso em questão, hackers poderiam instalar códigos maliciosos no smartphone dos usuários. A partir daí, seria possível monitorar conversas e até enviar mensagens em nome do usuário, mesmo que ele não soubesse. O mais alarmante é que para ser infectado, bastava o usuário receber uma ligação de voz e – detalhe – nem precisaria atendê-la para ter o aparelho comprometido.

A história começou a ser revelada na semana passada, quando um advogado de Londres começou a notar um comportamento estranho em seu aparelho. Não por acaso, esse advogado está envolvido em ações que têm como alvo a empresa NSO. Desconfiado, ele procurou o Citizen Lab – um laboratório de segurança digital ligado à Universidade de Toronto, no Canadá. Constatada a infecção do aparelho dele e a brecha de segurança no WhatsApp, o problema foi comunicado ao Facebook e às autoridades norte-americanas. Os engenheiros do aplicativo criaram uma correção de segurança que foi publicada na sexta-feira passada e que começou a ser distribuída por meio da atualização do aplicativo. Ou seja: quem programou o smartphone para atualizar automaticamente os aplicativos, possivelmente já está protegido. Quem deixa as atualizações em modo manual, vai precisar fazer o update para garantir a segurança do aparelho.

Compras na internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar


RECOMENDADO PARA VOCÊ

Últimos vídeos

Motorola entra no mercado de TVs

Motorola entra no mercado de TVs

16/09/19 21h00

A Motorola em parceria com a Flipkart, gigante indiana do comércio eletrônico, fez sua estreia no mercado das Smart TVs. A empresa... saiba mais